O que é Telerradiologia

O QUE É TELERRADIOLOGIA?

Entenda os benefícios para hospitais e clínicas de radiologia de todo o país

LAUDOS À DISTÂNCIA PARA » RESSONÂNCIA  TOMOGRAFIA  RAIO X  MAMOGRAFIA  DENSITOMETRIA  MEDICINA NUCLEAR     

Você sabe o que é telerradiologia? Também conhecida como radiologia a distância ou telelaudo, é um serviço inovador de apoio aos centros de diagnóstico de hospitais e clínicas de saúde de qualquer dimensão.

Entre os seus principais benefícios, destacam-se:

  • Para a sua instituição de saúde, a telerradiologia representa ganho de qualidade, pois os laudos são emitidos por especialista; significativa redução de custos, já que não há necessidade de manter a equipe local completa; complementação de equipe para jornadas de plantão ou cobertura de férias; além de emissão de laudos de emergência, 7 dias por semana, 24 horas por dia.
  • Para os médicos, os benefícios da telerradiologia são: a emissão de laudos por radiologistas especialistas nas subáreas da radiologia, a segurança de diagnósticos mais precisos – e também segunda opinião.
  • Já para os pacientes, as vantagens incluem laudos altamente precisos, diagnósticos de alta qualidade, além de grande agilidade na entrega dos resultados.

Para tirar todas as suas dúvidas sobre o que é telerradiologia e como ela pode contribuir para o desenvolvimento da qualidade dos seus serviços médicos nós preparamos este artigo.

O que é telerradiologia?

A telerradiologia é um serviço de medicina baseado na transmissão de imagens médicas pela internet. Ela nasceu para auxiliar centros de diagnóstico de forma remota na emissão de laudos a distância para exames de imagem.

Graças à internet e ao desenvolvimento de sistemas de tecnologia capazes de transmitir informações de forma segura, centros de saúde de qualquer tamanho e de qualquer lugar do País conseguem ter acesso a especialistas nas subáreas da radiologia para laudar seus exames com a mesma qualidade oferecida por um radiologista presencialmente.

Agora que você já sabe o que é telerradiologia, conheça algumas subáreas da radiologia:

A Radiologia é uma especialização médica. Para se formar radiologista, o profissional após seus 6 anos de formação acadêmica em Medicina – deve cursar residência médica por 3 anos ou especialização em Radiologia e Diagnóstico por Imagem.

Além desta jornada de 3 anos, alguns radiologistas se especializam por 1 ou mais anos adicionais em subáreas da Radiologia, através de estágios de capacitação e aprimoramento. As subáreas podem ser: neurorradiologia, radiologia torácica, mamária, cardíaca, abdominal, radiologia do sistema musculoesquelético, oncológica, pediátrica, de cabeça e pescoço e radiologia intervencionista.

Por essa razão, para emitir um laudo de uma tomografia do coração, por exemplo, um especialista em radiologia cardíaca é mais indicado do que um radiologista sem a mesma especialização.

Os melhores serviços de telerradiologia contam com profissionais especialistas em suas áreas para desenvolver os laudos. Isso garante maior precisão no diagnóstico e maior assertividade no tratamento do paciente.

Por ser um formato de prestação de serviço ainda novo para a grande maioria das pessoas, você deve buscar compreender a grande diversidade de tipos de serviços prestados por empresas de telerradiologia. e de que maneira  hospitais e clínicas radiológicas podem tirar proveito deles.

Agora que você já sabe o que é telerradiologia, confira um caso típico de como é utilizada:

O Problema

Seu centro de diagnóstico está localizado no interior e afastado de grandes centros médicos.

Há dificuldade na contratação de médicos radiologistas para a cobertura de férias ou escala de folgas. Ou, ainda, necessita de uma segunda opinião.

A Solução

1. Aumentar a remuneração oferecida para atrair novos talentos médicos para sua clínica.

ou

2. Terceirizar parte da emissão dos laudos sob demanda.

A Telerradiologia

A telerradiologia entra como uma das soluções para o seu problema. 

Ao terceirizar parte dos laudos para uma empresa de telerradiologia, você tem acesso a médicos radiologistas 7 dias por semana, 24h por dia, inclusive para emissão de laudos de urgência.

Quais os tipos de exame podem ser laudados por telerradiologia?

Qualquer exame de imagem que não exija a presença local de um médico para sua realização pode ser laudado remotamente. São eles:

  • Ressonância Magnética
  • Tomografia Computadorizada
  • Raio-X
  • Mamografia
  • Densitometria Óssea
  • Medicina Nuclear

Quais os benefícios da telerradiologia?

A telerradiologia possui uma série de benefícios para os centros de diagnóstico, compreendendo desde a redução de custos  e ganho de qualidade na emissão dos laudos, até a disponibilidade de acesso aos serviços em período integral, incluindo feriados. Confira:

  • REDUÇÃO DE CUSTOS: contratar uma equipe médica de radiologistas em tempo integral exige o investimento de um valor substancial para os centros de diangóstico, ainda mais considerando-se os períodos de plantões e férias. Porém, com o serviço de telerradiologia, você tem acesso a dezenas de médicos, sem a necessidade de se preocupar com os custos extras na cobertura da escala de trabalho da equipe. Você paga somente pelos laudos emitidos, ou seja, seu custo é cobrado por demanda.
  • LAUDOS DE ALTA QUALIDADE: a preocupação com a qualidade dos laudos deve ser uma busca constante nos centros de diagnóstico. Com a contratação de uma empresa de ponta de telerradiologia, é possível ter acesso a diagnósticos mais precisos. Alguns serviços ainda oferecem laudos ilustrados, com imagens detalhadas das alterações incorporadas aos laudos. Um recurso que pode ser um valioso aliado dos médicos solicitantes, auxiliando na definição de um tratamento mais adequado ao problema de saúde dos pacientes.
  • EQUIPE COMPLETA EM TEMPO INTEGRAL, 365 DIAS POR ANO: a busca por médicos extras para complementar a escala de atendimento, nos períodos de férias ou descanso, deixa de ser um problema para os centros de diagnóstico com o uso da telerradiologia. As clínicas têm a disposição médicos prontos para laudar exames todos os dias do ano, em período integral e até mesmo em caráter de urgência.
  • MELHORA NO ATENDIMENTO AOS CLIENTES: a telerradiologia pode ser uma importante aliada para auxiliar na melhora do atendimento oferecido pelos centros de diagnóstico aos pacientes, e também pode ser considerada como diferencial competitivo do negócio. A telerradiologia possui vantagens, tais como: redução dos prazos de entrega dos exames; otimização do tempo de realização de exames com a adoção correta dos protocolos; melhora da qualidade dos laudos emitidos. Os melhores serviços de telerradiologia contam com a emissão de laudos por médicos especialistas nas subáreas da radiologia.
  • LAUDOS PARA QUALQUER LUGAR DO BRASIL: centros de diagnóstico localizados em regiões afastadas das grandes cidades podem ter acesso a laudos emitidos pelos melhores médicos radiologistas do país. Na telerradiologia, o quesito Distância não influencia na formação de preços. Há ganho de qualidade nos laudos emitidos, ao mesmo tempo em que as despesas estão relacionadas apenas com o número de laudos terceirizados.

Pontos de atenção na hora de contratar a telerradiologia:

Assim como qualquer inovação, a telerradiologia também gera uma série de questionamentos. Mas há essencialmente dois pontos que você precisa ter em mente quando for contratar estes serviços:

  1. Regulamentação: assim como qualquer serviço prestado na área da saúde, a telerradiologia também possui regulamentação própria para o seu exercício. A Resolução do Conselho Federal de Medicina Nº 2.107/2014 é a diretriz que normatiza e orienta tanto as empresas que prestam os serviços de telerradiologia, quanto os centros de diagnóstico que fazem uso deles.
  2. Substituição de equipe médica: em alguns casos a telerradiologia não substitui a necessidade de haver médicos radiologistas atuando presencialmente nos centros de diagnóstico. Ex.: exames de ultrassom, acompanhamento de contrastes, entre outros. Ou seja, ela vem para complementar os serviços radiológicos, devendo ser encarada como parceira na otimização do atendimento prestado. O objetivo é melhorar a qualidade atendimento aos pacientes, por meio do apoio de médicos radiologistas especializados.

SAIBA MAIS: preparamos um conteúdo complementar com os principais cuidados baseados nas regulamentações da ANVISA e do Conselho Federal de Medicina. Acesse aqui.

Como funciona a emissão de laudos a distância com a telerradiologia?

A emissão de laudos através dos serviços de telerradiologia  deve seguir os mesmos procedimentos que os exames laudados presencialmente.

Passo a passo:

(1) inicia com a realização dos exames; (2) as imagens são disponibilizadas para  o médico radiologista (com tele envio das imagens, que pode ser feito direto da modalidade ou através do PACS); (3) o laudo é emitido; (4) o processo é finalizado com a entrega do resultado para o paciente (com tele os resultados ficam disponíveis na web para o Centro de Diagnóstico).

Para facilitar a compreensão, exemplificamos abaixo para você:

Agora que você já visualizou o processo de emissão dos laudos, é preciso compreender o procedimento para implantação da telerradiologia, que pode variar entre as diferentes empresas prestadoras deste tipo de serviço. Porém, as melhores do ramo, em um prazo de até 1 hora após a contratação dos laudos a distância, já realizam as integrações técnicas de sistema, para que os centros de diagnóstico consigam rapidamente fazer o uso da telerradiologia.

Veja na prática o passo a passo do processo de implantação da telerradiologia:

PASSO 0 – CONTRATAÇÃO

Este é o momento decisivo que você definirá com qual empresa de telerradiologia quer como parceira do seu centro de diagnóstico. Busque por referência de qualidade e cumprimento de prazos e observe a equipe técnica responsável pela empresa.

PASSO 1 – IMPLANTAÇÃO  

Compreende:

  • Instalação do sistema que permite o envio das imagens dos exames para a nuvem do serviço de telerradiologia. O sistema faz o link entre o PACS da clínica de radiologia e o serviço de telerradiologia, através de conexão segura e criptografada.
  • Em casos especiais há ainda a customização de módulos do sistema para o centro de diagnóstico.
  • Customização do layout dos laudos (cabeçalho e rodapé) seguindo a identidade visual do centro de diagnóstico.

OBJETIVO: integrar os sistemas para o envio das imagens dos exames e entrega dos resultados dos laudos emitidos.

DURAÇÃO: até uma hora após a contratação dos serviços.

PASSO 2 – TREINAMENTO

Compreende:

  • Orientação da equipe técnica do centro de diagnóstico sobre como enviar os exames e alinhamento quanto à importância do uso de questionário pré-exame;
  • Orientações detalhadas sobre o processo de solicitação para laudos mais precisos.

OBJETIVO: capacitar a equipe técnica do centro de diagnóstico para melhor utilizar o serviço de telerradiologia.

DURAÇÃO: após a implantação, de 1 a 2 h de treinamento.

PASSO 3 – ALINHAMENTO DE PROTOCOLOS

Compreende:

  • Apresentação do manual de protocolos recomendados.
  • Alinhamento de protocolos.

OBJETIVO: orientar a equipe técnica do centro de diagnóstico quanto às melhores práticas para a aplicação dos protocolos de exames.

DURAÇÃO: breve reunião de orientação.

PASSO 4 – ENVIO DOS EXAMES

Compreende:

  • Envio das imagens dos exames para o PACS da empresa de telerradiologia.
  • Upload do pedido médico no sistema.
  • Upload do questionário pré-exame / anamnese.

OBJETIVO: nesta etapa ocorre o envio dos primeiros exames pelo centro de diagnóstico para o serviço de telerradiologia, a fim de obter um laudo de maior qualidade.

DURAÇÃO: o envio das imagens pode ser feito com um clique, seja da modalidade ou do PACS local. O upload dos documentos pode ser realizado diretamente na plataforma web do serviço de telerradiologia, no máximo em 5 min.

PASSO 5  – RECEBIMENTO DOS EXAMES

Compreende:

  • Recebimento do laudo pela plataforma web da empresa de telerradiologia.
  • Em alguns casos, o recebimento do laudo pode ser feito diretamente dentro do sistema RIS/LIS do centro de diagnóstico.
  • Entrega do resultado para o paciente

OBJETIVO: disponibilizar os resultados para os pacientes.

DURAÇÃO: no máximo, 5 min. Os laudos podem ser impressos com um clique direto da plataforma online do serviço de telerradiologia. Nos casos em que há integração com RIS/LIS local, a entrega do resultado acontece de forma automática, seja pela internet ou pela impressão feita diretamente do sistema local.

Como contar com o estado-da-arte na radiologia em sua clínica ou hospital

O estado-da-arte é um conceito que faz referência a tudo que é mais desenvolvido e está na vanguarda de uma área específica. Na medicina a aplicação dessa terminologia não é diferente. Por isso, elencamos três pontos importantes que você deve considerar na hora de contratar um serviço de telerradiologia para complementar os serviços do seu centro de diagnóstico, e que vão auxiliá-lo a oferecer um serviço com a máxima excelência:

  1. Busque sempre uma equipe formada por profissionais atualizados e presentes nos principais congressos nacionais e internacionais da área. Radiologistas altamente especializados estarão aptos a emitir laudos com base no que há de mais novo na literatura médica.
  2. Acompanhe as inovações tecnológicas, bem como os avanços científicos na área da radiologia. Esteja próximo ao que há de mais novo em tecnologias que podem até mesmo mudar a forma de realizar exames e a emissão de laudos.
  3. Otimização constante. Novas e melhores práticas para a realização de exames de imagem estão em atualização. Fique de olho em parceiros que acompanham as tendências e auxiliam sua clínica a ficar também atualizada.

Telerradiologia: inovação na medicina há mais de meio século.

físico alemão Wilhelm Conrad Roentgen o que é telerradiologia

A Radiologia abrange as diversas técnicas para a realização de exames de imagens (por exemplo, raios-x, ressonâncias magnéticas, ultrassom), com o objetivo de auxiliar o processo de diagnóstico ou tratamento. O seu surgimento aconteceu em 1895, por meio do físico alemão Wilhelm Conrad Röntgen (1845 – 1923).

Já a telerradiologia tem uma história de quase meio século e tem grande influência na indústria de telemedicina.

Durante a década de 1930, o navio de marinha Queen Mary usou o radio-telefone marinho no navio para fins de consulta médica. Um médico a bordo enviavia informações para fontes externas para consulta e, em seguida, serviria como consultor para pessoas em outros navios que precisavam de atenção médica.

Durante os anos 1960 e 1970, houve uma extensa experimentação, com pesquisas conduzidas para melhorar as técnicas de transmissão de televisão e circuito fechado para o envio de imagens médicas que capturadas por raios-x.

Geralmente, as imagens pertenciam às áreas de Patologia, Dermatologia e Radiologia. Houve um novo avanço quando o Dr. Kenneth Bird, do Massachusetts General Hospital, de Boston, Estados Unidos, conseguiu instalar um sistema de televisão interativo que conectou o Aeroporto Logan com o hospital e poderia ser usado para oferecer cuidados médicos aos viajantes.

Havia um caso semelhante no Hospital Geral Walter Redd, localizado em Washington D.C., onde um link foi estabelecido entre a sala de emergência e o departamento de radiologia através de uma televisão em circuito fechado.

Nos primeiros dias, no entanto, o processo de transmissão era bastante tedioso, já que você só podia compartilhar uma imagem de cada vez, e a resolução e o contraste eram de baixa qualidade, e o sistema se revelou mais uma exibição do que propriamente uma ferramenta prática para o hospital. Nestes primeiros anos da telemedicina, altos custos de manutenção e operação levaram a maioria dos centros de saúde a rejeitar a telerradiologia.

No início da década de 1980, a telerradiologia serviu principalmente como cópia de filmes físicos para serem enviadas ao radiologista, que então gravava um relatório em uma fita cassete.

O material era enviado para a instalação original, para ser transcrito sob a forma de um relatório em papel. O tempo de resposta desses estudos levava dias, às vezes até semanas. Ou seja, funcionava para estudos de rotina, mas não em situações de emergência.

o que é telerradiologia

Embora algumas modalidades (máquinas de raios-X, TCs) produzissem filmes ou imagens digitais, exibir as cópias em máquinas feitas por outros fabricantes era muito difícil. A National Electrical Manufacturers Association e o American College of Radiology, em 1983, juntaram forças e criaram um padrão aberto de imagens médicas, para estas fossem armazenadas digitalmente. O padrão ACR / NEMA 300 teve algumas limitações e problemas que não levaram os fabricantes a adotá-lo amplamente.

Uma segunda versão deste padrão foi lançada em 1988, comumente é chamada de ACR / NEMA V2.0. Com esta versão, as imagens eram transmitidas através do uso de um cabo dedicado (o EIA-485).

O padrão foi aceito de forma mais ampla, por meio do suporte de empresas como 3M, Vortech (Kodak), Siemens Medical Systems, Merge Technologies, General Electric Medical Systems e DeJarnette Research Systems.

A terceira versão deste padrão foi lançada em 1993, e chamou-se DICOM. O suporte à rede-padrão foi adicionado com esta edição, que finalmente tornou a telerradiologia possível.

O American College of Radiology em 1994 publicou seu primeiro padrão de telerradiologia. A ACR sugere que o licenciamento deve ser mantido por radiologistas que forneceram interpretações, tanto para receber e iniciar sites, como também para obter credenciais hospitalares. Foi um passo importante na prática da telerradiologia, que se legitimou ao ganhar o reconhecimento ACR.

No final dos anos 1990, havia várias empresas de telerradiologia já estabelecidas e muito bem-sucedidas nos negócios. Por exemplo, um médico na Austrália que trabalhava à tarde poderia cobrir a equipe médica de um hospital nos EUA.

Hoje em dia, existem diversas empresas especialistas em telerradiologia que, a distância, emitem os laudos radiológicos com precisão e alta qualidade na definição das imagens. Isso é resultado do investimento em tecnologia e a qualificação dos médicos radiologistas especialistas nas subáreas da radiologia – e que são responsáveis pelos laudos.

História da Telerradiologia no Brasil

Aqui, a história da telerradiologia é muito mais recente. Foi somente no ano de 2005 que o Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR) criou a Comissão de Telerradiologia, cujo objetivo de estimular a teleintegração com base em boas práticas e no exercício ético da Medicina.

Em 2009, o Conselho Federal de Medicina (CFM) normatiza este tipo de serviço através da Resolução nº 1890/2009. Norma que, posteriormente, foi atualizada para orientar uma prestação de serviços de mais qualidade e com a segurança de que médicos e pacientes necessitam.

AGORA QUE VOCÊ JÁ SABE TUDO SOBRE TELERRADIOLOGIA,
QUE TAL VER NA PRÁTICA COMO O SERVIÇO FUNCIONA:

Preencha o formulário abaixo e solicite o contato de nossos especialistas.

Nome

Telefone

E-mail

Nome do serviço de Radiologia

[mc4wp_checkbox "Label text"]