O que a Inteligência Artificial significa para a relação médico-paciente na Radiologia

Tecnologias de Inteligência Artificial (IA) possuem o potencial para ajudar radiologistas a demonstrar seu valor através da utilização de conexões emocionais com pacientes, de acordo com estudo publicado no American Journal of Roentgenology.

“Apesar da IA ter o potencial de melhorar quase todos os aspectos do setor de atendimento em Saúde, muitos médicos ainda são céticos sobre a integração da Inteligência Artificial nas suas práticas do dia-a-dia”, argumentaram os autores Shadi Aminololama-Shakeri e Javier E. Lopez, da Universidade da California Davis. “O ceticismo tem origem de preocupações que esses tipos de mudança podem resultar no fim da relação médico-paciente e na vocação da medicina como nós conhecemos. Esses sentimentos são propagados a partir de declarações de executivos dessas indústrias de que médicos serão substituídos por robôs e que algumas especialidades serão totalmente substituídas e não reconhecidas num futuro próximo.”.

Entretanto, de acordo com os autores, a IA na verdade tem o potencial de transformar o setor de atendimento na Saúde “de modos anteriormente não imaginados” – incluindo a melhoria, mas não a diminuição, da relação entre os médicos e seus pacientes.

A partir do momento que as tarefas repetitivas forem automatizadas por soluções baseadas em IA (Ex.: avaliação de densidade mamária), os radiologistas terão mais tempo para atividades de mais alto valor agregado, como falar com pacientes sobre seu diagnóstico e discutir a diversas opções de tratamento com mais calma. Aminololama-Shakeri e Lopez explicaram que especialistas em imagem mamária serão especialmente impactados no futuro por estas mudanças. Vai levar tempo, é claro, para que a profissão realmente se transforme por conta dessas tecnologias, mas  é um futuro muito provável – assumindo que os especialistas aceitem a IA ao invés de evitá-la no seu dia-a-dia.

“É essencial que médicos especialistas em radiologia mamária aceitem e abracem os avanços tecnológicos que têm o potencial de revolucionar a prática da medicina.”, os autores concluem. “Através da integração da Inteligência Artificial com nossas rotinas do dia-a-dia, nós poderemos mais uma vez priorizar nossas interações com os pacientes. Isso pode nos permitir a concentrar em áreas em que os humanos são muito bons: estabelecer conexões emocionais, expressar empatia, e dar diagnóstico centrado no paciente e estratégias de tratamento adequadas.”

O artigo completo publicado no American Journal of Roentgenology pode ser encontrado em: https://www.ajronline.org/doi/abs/10.2214/AJR.18.20509