Se você (ou sua clínica ou hospital) ainda não passou por isso, com certeza irá passar. A situação é bastante comum para gestores de saúde: no final do mês, na hora de fechar as contas, os reembolsos pelos serviços prestados a convênios atrasam e dificultam a organização do fluxo de caixa da sua empresa.

Em resumo, o termo glosa se refere a solicitações de explicação adicionais por convênios e planos de saúde sobre serviços prestados por médicos, clínicas e hospitais.  Normalmente está relacionada a diferenças entre o que está escrito no formulário de atendimento e o que é exigido pelo convênio médico, mas há algumas particularidades.

Segundo a literatura especializada, as glosas mais comuns são (i) de natureza administrativa, quando decorrentes de falhas operacionais no momento da cobrança, falta de integração entre o plano de saúde e o prestador de serviço, ou, ainda, de falhas no momento da análise da conta do prestador; ou (ii) de natureza técnica, quando relacionadas a discordâncias quanto aos valores dos serviços e dos medicamentos, e dos procedimentos médicos em si.

Nesse ponto, chamo a atenção a alguns estudos apontam que as glosas administrativas representam até 88% do total, o que indica que, muitas vezes, são as próprias áreas administrativas que não se atentam a detalhes importantes durante os atendimentos.

Pensando nisso, preparamos esse post com algumas dicas para evitar a glosa e aumentar a eficiência do seu serviço. Confira:

Cuidado Redobrado com Cadastros

Para glosas administrativas, a ideia é impedir que os cadastros sejam feitos de forma equivocada ou mesmo duplicados, e há diversas formas para atingir esse objetivo.

Utilizar um sistema capaz de cruzar as informações de diversos computadores ao mesmo tempo ajudar a resolver esse tipo de erro, principalmente quando a clínica possui mais de uma unidade, caso em que o cadastro do paciente pode ser unificado por dados como CPF.

Outra sugestão é realizar também uma dupla checagem dos dados do paciente no momento da solicitação do serviço, mesmo quando ele já tiver um cadastro em seu serviço de radiologia. Procedimentos simples como checagem pelo atendente e posterior verificação pelo próprio paciente já ajudam bastante.

Ainda nesse quesito, cada vez mais comum em serviços de radiologia, o agendamento eletrônico de exames possibilita que o próprio paciente insira seus dados no sistema, funcionando na prática como mais uma etapa de verificação dos cadastros.

É importante também ficar atento aos dados do procedimento, como número do pedido, do médico solicitante e entrada/saída, que são os erros mais comuns em casos de glosa. Se possível, a utilização de um sistema informatizado ajuda a automatizar todo o processo.

Implantação de sistemas RIS (Radiology Information System ou Sistema de Informação para Radiologia)

Para glosas técnicas, atualmente há diversos sistemas que possibilitam a identificação do tipo de plano do paciente (e das respectivas coberturas e valores) pelo seu número de cartão do convênio. Essa funcionalidade possibilita que o processo seja automatizado, tornando o atendimento mais rápido e eficaz, e diminuindo a ocorrência das glosas técnicas.

Quer estar sempre atualizado com as últimas notícias sobre radiologia e gestão de serviços de imagem? Assine nossa newsletter!